Silvia Crusco

Poemas e Prosas

Textos


Galinha e gaivota

Deixei a marca de meu batom vermelho
No guardanapo sobre a mesa do adeus
Paguei a conta de todos os nossos anos
E nada fiquei a dever
Coloquei a bolsa no ombro
Dei de costas e fui andando
Passei pela porta em direção à rua
E nem dei um último olhar
Fui sempre em frente andando reto
Peguei a rua, virei a esquina e segui o meu caminho
De tão leve quase saí voando
Gaivota e galinha são aves, mas também são tão diferentes
Enquanto uma consegue voar a outra permanece no chão a ciscar.
Silvia Crusco
Enviado por Silvia Crusco em 30/03/2021


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras