Silvia Crusco

Poemas e Prosas

Textos


Fênix

Acordei e me dei conta que novamente eu era um monte de cinzas por sobre a cama. Tentei olhar ao redor, porém estava sem olhos, tentei me mexer, porém não tinha mais corpo, eram só cinzas amontoadas em um canto do lençol. Tentei puxar pela memória o por que de tudo aquilo, o porque novamente eu viro cinzas depois de situações complicadas, mágoas e injustiças. Cansei, pensei eu, vou ficar aqui pó porque dizem que ao pó voltaremos, então já que estou assim, já voltei ao pó e nem me dei conta. Foi quando um pequeno raio de sol entrou no quarto em forma de feixe de luz e começou a aquecer aquele monte de cinzas que foi tomando forma de um pássaro colorido. Na Bíblia tem uma passagem que fala: levanta-te e anda e eu escutei: levanta-te e voa. Quando deu por mim eu havia novamente me transformado em uma ave imensa, com pensas coloridas que se preparava novamente para um voo magistral. Tem momentos em nossas vidas que acontece bem assim, acordamos cinzas e levantamos Fênix. A transformação só é possível quando se tem fé, persistência e resiliência. Continuemos acreditando e voando!
#silvinhanaescrita
#silvinhaquotes
#silvinhapoemas
Silvia Crusco
Enviado por Silvia Crusco em 03/01/2020


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras